Estamos ON
COVID-19_ARSN
Estamos_ON
Vacinacao
previous arrow
next arrow

Área Funcional da Qualidade

Missão: promover e assegurar, nas Unidades de Saúde da ARS Norte, uma cultura de melhoria contínua da Qualidade e de sustentabilidade.

Visão: garantir, em toda a Região de Saúde do Norte, serviços com padrões de Qualidade técnico-profissional e diferenciação capazes de proporcionar mais e melhor saúde, confiança e satisfação, tanto para os utilizadores como para os profissionais.

Valores: responsabilidade, comunicação, partilha, orientação para resultados, inovação, transparência, confidencialidade.

Política da Qualidade

 

  • Colaboradores envolvidos – Desenvolver relações internas eficazes, orientadas para os profissionais, motivar, capacitar e manter os colaboradores informados sobre as políticas e objetivos da organização; fomentar uma cultura organizacional forte, que se paute por elevados padrões éticos, de serviço público, de responsabilidade, civismo, competência e exigência.

 

  • Utentes satisfeitos – Oferecer serviços de qualidade, com forte espírito de equipa e convergência, na procura conjunta das melhores soluções; desenvolver e alcançar requisitos e critérios de excelência, de melhoria contínua, com reconhecimento.

 

  • Responsabilidade social – Desenvolver uma política de responsabilidade social, de valorização e promoção do bem-estar dos recursos humanos e de gestão responsável da utilização de recursos; implementar políticas de desenvolvimento pessoal e social dos profissionais, entre as quais podem salientar-se a promoção da saúde e da segurança, a educação e a formação e uma melhor compatibilização da vida familiar e profissional.

 

  • Processos inovadores – Promover a modernização e a inovação constantes através de melhores práticas clínicas; estimular a criatividade e o trabalho em equipa para que os serviços prestados sejam de maior qualidade.

 

  • Orientação para os resultados – Superar desafios cada vez mais exigentes, no esforço contínuo de corresponder às necessidades e expectativas das Partes Interessadas, com vista ao aumento da eficiência e eficácia dos serviços prestados; adotar procedimentos claros para uma execução e controlo rigorosos e efetuar uma revisão periódica dos processos, objetivos e metas no sentido de eliminar o supérfluo e reforçar o que for estratégico; procurar sempre a melhoria contínua do sistema, antevendo e ultrapassando todas as falhas e erros, rumo à excelência e ao aumento da qualidade do serviço.

 

  • Comunicação transparente e aumento de capacitação – Comunicar de forma célere e clara, a todos os interessados, a informação necessária e relevante ao exercício da atividade; manter e criar novos canais de partilha de informação, acessíveis a todos, promovendo a credibilidade interna e externa do serviço. Promover a educação e a literacia em saúde dos seus utentes, para que estes sejam mais participativos na tomada de decisão. Promover uma cultura de uso adequado das reclamações, na perspetiva do utilizador reclamante e do prestador, enquanto alvo da reclamação.

Rua de Santa Catarina, 1288
4000-447 Porto

 

Elsa Ramos

Telefone: 220 411 000 

 

 

Luísa Almeida

Telefone: 220 411 000

 ÍNDICE TEMÁTICO
Ações de Formação em preparação
Lesões Por Pressão – Auditorias
Segurança na Utilização da Medicação
Implementação do Plano de Manutenção dos Equipamentos e das Infraestruturas
RGPD – Proteção de Dados em Saúde
Auditorias a Normas Clínicas e Organizacionais e a PAI
Auditorias a Normas Clínicas e Organizacionais e a PAI – Médicos
Auditorias a Normas Clínicas e Organizacionais e a PAI – formação de seguimento para Médicos
Auditorias a Normas Clínicas e Organizacionais e a PAI – Enfermeiros
Acreditação nas Unidades Prestadoras de CSP – formação de seguimento
A Estratégia Nacional para a Qualidade na Saúde nas Unidades em Acreditação – formação de seguimento
Qualificação de Auditores Internos da Qualidade ISO 9001:2015
Gestão de Riscos Laborais 
Ferramentas da Qualidade em Saúde
Power BI

 

  • Ações de Formação em preparação 
  • Aprovisionamento – definição de circuitos dos equipamentos (dirigida a profissionais do projeto piloto 33),
  • Conceitos de Metrologia para CSP (idem),
  • Qualificação de Auditores Internos da Qualidade ISO 9001 (dirigida a elementos da DICAD),
  • Gestão de Riscos Laborais em Saúde (dirigida a elementos de Unidades em processo de Acreditação),
  • Acreditação nas Unidades Prestadoras de CSP – Dificuldades (dirigida a elementos de Unidades em processo de Acreditação),
  • Auditorias Clínicas a Normas Clínicas – Médicos – Seguimento, em 12 e 13/10/2022 (dirigida a Médicos que frequentaram o módulo anterior),
  • Auditorias Clínicas a Normas Clínicas – Enfermeiros – Seguimento, em 19 e 20/10/2022 (dirigida a Enfermeiros que frequentaram o módulo anterior).
  • Auditorias a Normas Clínicas e Organizacionais e a PAI – Médicos  
  • No mesmo enquadramento da formação mencionada em seguida, foi organizada esta formação em 30 de novembro e 2 e 3 de dezembro de 2021, através da plataforma MS Teams. Foram definidos 5 objetivos gerais: 1. Promover a cultura de monitorização da prática clínica e garantir a adesão dos profissionais a esta atividade no contexto do exercício profissional, 2. Responder às atividades explanadas no Plano de Ação anual das CQS dos ACeS, 3. Uniformizar procedimentos e diminuir assimetrias, 4. Consensualizar metodologias e uniformizar instrumentos de auditoria, 5. Garantir o reconhecimento das mais-valias que este processo de melhoria contínua possui, nomeadamente ao potenciar boas práticas e melhores cuidados aos utentes. Foram definidos 2 objetivos específicos: 1. Conhecer o Plano Estratégico de Melhoria Contínua da Qualidade na área das Auditorias da AFQ, 2. Ser capaz de realizar adequadamente auditorias clínicas em Unidades e Serviços de Saúde da ARS Norte, I. P., tendo por base a metodologia definida e adotada pela AFQ. Estiveram presentes 16 Médicos, representando 9 ACeS. A GPF foi a Dra. Maria do Céu Ferreira. A formação foi orientada pelas Sra. Dra. Deolinda Beça, da USF Carvalhido do ACeS Porto Ocidental, bem como pelo Sr. Dr. Carlos Vaz, do Departamento da Qualidade na Saúde da DGS e pela Dra. Luísa Almeida da AFQ. A Sra. Dra. Elsa Ramos, Coordenadora da AFQ, procedeu ao fecho do curso com uma apresentação sobre o enquadramento da formação nos objetivos de trabalho da AFQ. Os Médicos que realizaram esta formação estarão em condições de integrar a formação de seguimento programada para 28 e 29 de setembro de 2022. Esta formação e os resultados dos trabalhos práticos serão divulgados localmente em reuniões das Unidades Funcionais a que os formandos pertencem, bem como em reuniões dos seus Conselhos Técnicos, do Conselho Clínico e das CQS dos ACeS. Os Médicos estarão em condições de replicar o uso dos modelos propostos na execução de auditorias nos seus ACeS, no sentido da progressão da uniformização de procedimentos e da possibilidade de comparação mais correta de resultados.

 

    • Lesões Por Pressão – Auditorias 

As lesões por pressão (LPP) são um problema de saúde pública e um indicador da qualidade dos cuidados prestados. Causam sofrimento e diminuição da qualidade de vida dos doentes e dos seus cuidadores. O conhecimento da etiologia e dos fatores de risco associados ao desenvolvimento das LPP são a chave para o sucesso das estratégias de prevenção. Estima-se que cerca de 95% das LPP sejam evitáveis através da identificação precoce do grau de risco. A avaliação do risco de desenvolvimento de LPP é fundamental no planeamento e implementação de medidas para a sua prevenção e tratamento. O registo e a caracterização das LPP são fundamentais para a monitorização adequada dos cuidados prestados aos doentes, uma vez que permitem estabelecer medidas mais adequadas de tratamento e melhorias nos cuidados.

O Plano Nacional para a Segurança dos Doentes (PNSD) 2021 – 2026 preconiza, no seu Pilar 5 e em relação às LPP, a execução de auditorias, definindo como meta para 2026 que 90 % das instituições de saúde as tenham executado. As auditorias são atividades de carácter pedagógico e um precioso auxílio à prática clínica e à consolidação da governação clínica. Neste contexto, pretende-se criar uma Rede Regional de Auditores Clínicos, consagrada no Plano Estratégico de Melhoria Contínua da Qualidade na área das Auditorias (PEMCQA) da Área Funcional da Qualidade (AFQ) e em que esta área clínica será incluída.

Esta ação de 7 horas, através da plataforma Teams, foi dirigida aos Enfermeiros que já tinham frequentado os 2 módulos anteriores e teve lugar em 31 de maio de 2022.
Os Formadores foram a Sra. Enf. Ângela Castro da USF Porto Douro e o Sr. Enf. Carlos Cancela da USF Garcia de Orta, ambos do ACeS Porto Ocidental e ainda a Dra. Luísa Almeida da AFQ. A Gestora desta Formação foi a Dra. Sílvia Neves da AFFD.
Estiveram presentes 20 formandos, representando 18 ACeS. Foi apresentado o PEMCQA e o seu modelo de auditoria e foi apresentada a proposta de uniformização de procedimentos. Espera-se que o conteúdo desta formação seja divulgado localmente, particularmente nas reuniões de serviço dos Formandos e nas reuniões de Conselhos Técnicos e das CQS dos seus ACeS.

 

    • Segurança na Utilização da Medicação 

A Estratégia Nacional para a Qualidade na Saúde 2015-2020 tem “como principal missão potenciar e reconhecer a qualidade e a segurança da prestação de cuidados de saúde para garantir os direitos dos cidadãos na sua relação com o sistema de saúde”. Das várias prioridades estratégicas de atuação que define destaca-se o reforço da segurança do doente, através da implementação dos objetivos estratégicos do Plano Nacional para a Segurança dos Doentes (PNSD). O PNSD 2021-2026 preconiza, no seu Pilar 5 e em relação à segurança da medicação, “a implementação e consolidação de práticas seguras em ambiente de prestação de cuidados de saúde” (Objetivo Estratégico 5.1) através da promoção da utilização de ferramentas digitais para práticas seguras neste âmbito. No que diz respeito à monitorização da implementação das práticas seguras neste domínio (Objetivo Estratégico 5.2), o PNSD refere a necessidade da execução de auditorias anuais. As Unidades em processo de Acreditação conhecem os vários standards relacionados com a temática da segurança na utilização da medicação, definidos no Manual de Acreditação da DGS, segundo o modelo ACSA, dos quais se salientam os S 05 08 (.01_01, .02_02, .05_00, e .10_00), os S 05 10 (.07_02 e .08_02) e o S 05 11.01_00. Neste contexto foi organizada a formação, de forma a dar apoio a estas Unidades que têm necessidade de cumprir cabalmente os referidos standards.

Esta ação de 12 horas, através da plataforma Teams, foi dirigida a Enfermeiros e Médicos de Unidades em processo de Acreditação e teve lugar em 25 e 26 de maio de 2022. A Formadora foi a Sra. Prof. Leila Sales. A Gestora desta Formação foi a Dra. Sílvia Neves da AFFD.

Do conteúdo programático salientam-se os seguintes pontos:

      • segurança do doente e segurança da medicação,
      • incidentes de segurança do doente e eventos adversos relacionados com a medicação,
      • boas práticas na gestão dos medicamentos LASA e MAM,
      • organização, armazenamento e conservação dos medicamentos,
      • modelo de acreditação ACSA e auditorias no âmbito da medicação,
      • estratégias de promoção da Segurança da Medicação,
      • reconciliação da medicação,
      • sistemas de relato e análise dos incidentes,
      • casos práticos.

Estiveram presentes 30 formandos, representando 11 dos 15 ACeS que têm Unidades neste processo. Espera-se que o conteúdo desta formação seja divulgado localmente, nas próprias Unidades.

    • Implementação do Plano de Manutenção dos Equipamentos e das Infraestruturas 

Com as tecnologias de automatização inteligente de serviços da EasyVista é possível a gestão de todo o ciclo de vida dos bens da ARSN. A gestão deste processo engloba todas as fases desde o momento da receção do bem, passando por todas as monitorizações e manutenções, inventariação, até ao abate do bem. Através de uma experiência simplificada e intuitiva, na gestão do ciclo de vida do bem, a plataforma EasyVista permite identificar, documentar e supervisionar a origem de problemas recorrentes, contribuindo para a sua prevenção. O inter-relacionamento com os incidentes permite o aceleramento e uma visão integrada da causa raiz de problemas recorrentes. Sendo uma plataforma online, passa a permitir a todas as unidades da ARSN terem (i) uma visão única sobre o estado e histórico de intervenções do bem e (ii) uma normalização de procedimentos baseados nos fluxos de trabalho e na interface gráfica.

Esta 2 ações de 18 horas cada uma, uma em 17, 22 e 23 de março  e outra em 25, 29 e 31 de março através da plataforma Teams. Foram dirigidas a Profissionais de Unidades em processo de Acreditação, tendo participado 59 profissionais (8 Técnicos Superiores, 18 Assistentes Técnicos, 31 Enfermeiros e 2 Médicos).

A GPF foi a Dra. Sílvia Neves da AFFD e os Formadores foram a Dra. Elsa Ramos e o Eng. Jorge Silva.

Os objetivos desta ação foram os seguintes:

      1. conhecer, registar e controlar as condições de segurança do espaço e das instalações em que é realizada a atividade;
      2. garantir a utilização segura dos equipamentos eletromédicos;
      3. acompanhar o estado de revisão e funcionamento dos equipamentos;
      4. Planear e executar a gestão integrada dos equipamentos clínicos e de segurança, através da plataforma “Gestão do Ciclo de Vida dos Equipamentos Clínicos”, garantindo o acompanhamento e a supervisão em todos os níveis.

O conteúdo programático incluiu

      • a utilização segura dos equipamentos eletromédicos mediante a designação de responsáveis, o acompanhamento do estado de revisão e funcionamento dos seus equipamentos e a formação dos seus profissionais,
      • a elaboração e atualização de inventário de cada Unidade,
      • a aplicação informática da Gestão do Ciclo de Vida dos Equipamentos Clínicos
      • Navegação na Plataforma
      • Catálogo de Serviços
      • Receção de Bens
      • Aquisição de Bens
      • Transferência de Bens
      • Devolução de Bens
      • Doações
      • Manutenções Corretivas
      • Manutenções Preventivas
      • Monitorizações
      • Abate
      • Criação de ticket e pedido de bem substituição
      • Inventário anual – pedido de acerto de inventário

 

      • Auditorias a Normas Clínicas e Organizacionais e a PAI – formação de seguimento para Médicos  
      • A Estratégia Nacional para a Qualidade na Saúde, aprovada pelo Despacho n.º 5613/2015, de 27 de maio, visa assegurar que as funções de governação, coordenação e ação local, centradas no doente, estão devidamente alinhadas, com respeito pelas dimensões da efetividade, eficiência, acesso, segurança, equidade, adequação, oportunidade, continuidade e respeito pelo cidadão. Tem, como principal missão, potenciar e reconhecer a qualidade e a segurança da prestação de cuidados de saúde, para garantir os direitos dos cidadãos na sua relação com o sistema de saúde. Das várias prioridades estratégicas que define, salienta-se a melhoria da Qualidade clínica e organizacional. Das várias ações a implementar neste contexto, destacam-se duas: 1. reduzir a variabilidade da prática clínica, nomeadamente através de normas clínicas nacionais e da disseminação das boas práticas; 2. auditar regularmente os critérios da Qualidade a que devem obedecer os serviços prestadores de cuidados de saúde. São 5 os eixos estratégicos do Plano Nacional para a Segurança dos Doentes 2021-2026, aprovado pelo Despacho 9390/2021, de 24 de setembro e do qual se destaca o pilar 5, práticas seguras em ambientes seguros, onde são consideradas algumas das suas condicionantes (a formação dos profissionais de saúde, a forma como o trabalho é organizado, a existência de ferramentas e instrumentos, os percursos de cuidados, o desenho e confiabilidade dos processos). No objetivo estratégico 5.2, monitorizar a implementação de práticas seguras, está prevista a ação de auditar, anualmente, as práticas seguras relativas à ocorrência de quedas, ocorrência de úlceras por pressão, identificação inequívoca de doentes e segurança da medicação. A meta aqui definida é a de que 90% das instituições de saúde realizem auditorias internas anuais e tenham relatórios publicados no sítio institucional. A realização de auditorias clínicas constitui-se como uma atividade de carácter pedagógico, de auxílio à prática clínica e de consolidação do exercício da rede nacional de Governação Clínica. Neste contexto, pretende-se criar uma Rede Regional de Auditores Clínicos, consagrada no Programa Regional Anual de Auditorias do Plano Estratégico de Melhoria Contínua da Qualidade na área das Auditorias desta AFQ. Para o efeito, foi desenvolvido um plano formativo, do qual esta ação faz parte, que visa qualificar os profissionais de todos os ACeS desta Região nesta área considerada prioritária. Tendo ocorrido a formação inicial, de pendor teórico-prático, em 24 e 25 de outubro e 6 de dezembro de 2019, dados os constrangimentos provocados pela pandemia, programou-se a formação de seguimento, de caráter eminentemente prático, para 24 e 25 de outubro e em 6 de dezembro de 2021. Estiveram presentes 15 médicos, representando 12 ACeS. A GPF foi a Dra. Maria do Céu Ferreira. A formação foi orientada pelas Sra. Dra. Deolinda Beça, da USF Carvalhido do ACeS Porto Ocidental, bem como pelo Sr. Dr. Carlos Vaz, do Departamento da Qualidade na Saúde (DQS) da Direção-Geral da Saúde (DGS) e pela Dra. Luísa Almeida da AFQ. A Sra. Dra. Elsa Ramos procedeu ao fecho do curso com uma apresentação sobre o enquadramento da formação nos objetivos de trabalho da AFQ. Todos os Médicos que realizaram esta formação estarão em condições de integrar a Rede Regional de Auditores Clínicos em 2022. Esta formação e os resultados dos trabalhos práticos serão divulgados localmente em reuniões das Unidades Funcionais a que os formandos pertencem, bem como em reuniões dos seus Conselhos Técnicos, do Conselho Clínico e das CQS dos ACeS. O resultado global da execução, pelos Formandos, no seu local de trabalho, com elaboração de relatório, da avaliação da conformidade da aplicação da Norma n.º 066/2011, de 30/12/2011 (versão atualizada em 26/02/2015) “Prescrição de Exames Laboratoriais para Avaliação de Dislipidemias no Adulto”, no âmbito da atividade clínica do Médico de Família, foi apresentado pelos Formadores e pela AFQ na forma de boletim informativo (ver separador Boletim Informativo). Esta informação foi enviada a todos os Formandos, às CQS dos 21 ACeS da Região de Saúde do Norte e aos seus Diretores Executivos e Presidentes dos Conselhos Clínicos e de Saúde, bem como ao Sr. Diretor do DQS da DG.
      • Auditorias a Normas Clínicas e Organizacionais e a PAI – Enfermeiros  
      • Faz parte do conjunto de atribuições da AFQ qualificar os recursos humanos da Região de Saúde do Norte, investindo na aquisição e certificação de novas competências e permitindo a permanente atualização de conhecimentos. A AFQ continua a assegurar todo um conjunto de atividades capazes de promover, nas instituições prestadoras de cuidados de saúde, uma cultura de melhoria contínua da Qualidade e de sustentabilidade. Para o efeito e de acordo com o Plano Estratégico de Melhoria Contínua da Qualidade na área das Auditorias da AFQ, foi desenvolvido um plano formativo que visa qualificar os profissionais de todos os ACeS desta Região nesta área considerada prioritária. Foram definidos 2 objetivos para esta formação: 1. adquirir conhecimentos teóricos e práticos na realização de Auditoria Clínica, nos termos plasmados no Plano Estratégico de Melhoria Contínua da Qualidade da AFQ, 2. ser capaz de realizar adequadamente auditorias clínicas em Unidades e Serviços de Saúde da ARS Norte, tendo por base a metodologia definida e adotada pela AFQ. Esta formação teve lugar em 27, 28 e 29 de outubro de 2021, através da plataforma MS Teams, orientada pela Sra. Enf. Ângela Castro, da USF Porto Douro e pela Sra. Dra. Deolinda Beça, da USF Carvalhido, ambas do ACeS Porto Ocidental, bem como pelo Sr. Dr. Carlos Vaz, do Departamento da Qualidade na Saúde da DGS e pela Dra. Luísa Almeida da AFQ. A GPF foi a Dra. Maria do Céu Ferreira. Foram selecionados 16 Enfermeiros, representando 15 ACeS. Todos os Enfermeiros que realizaram esta formação estarão em condições de integrar a formação seguinte que terá lugar em outubro de 2022. Esta formação e os resultados dos trabalhos práticos serão divulgados localmente em reuniões das Unidades Funcionais a que os formandos pertencem, bem como em reuniões dos seus Conselhos Técnicos, do Conselho Clínico e das CQS dos ACeS. O resultado global da execução, pelos Formandos, no seu local de trabalho, com elaboração de relatório, da avaliação da conformidade da aplicação da Norma n.º 015/ 2013, de 3 de outubro, atualizada em 4 de novembro de 2015, “Consentimento Informado, Esclarecido e Livre Dado por Escrito” e da Circular Normativa n.º 2, DSMIA, de 15 de janeiro de 2007, “Profilaxia da Isoimunização Rh”, foi apresentado pelos Formadores e pela AFQ na forma de boletim informativo (ver separador Boletim Informativo). Esta informação foi enviada a todos os Formandos, às CQS dos 21 ACeS da RSN e seus Diretores Executivos e Presidentes dos Conselhos Clínicos e de Saúde, bem como ao Sr. Diretor do DQS da DGS.
      • Acreditação nas Unidades Prestadoras de CSP – formação de seguimento  
      • No mesmo âmbito e com os mesmos objetivos que A Estratégia Nacional para a Qualidade na Saúde nas Unidades em Acreditação, a formação decorreu em 25, 26 e 27 de outubro de 2021, através da plataforma MS Teams. Estiveram presentes 29 Profissionais (2 Secretária Clínica,15 Enfermeiros, 11 Médicos e 1 Nutricionista), representando 11 ACeS. A Gestora Pedagógica desta Formação foi a Dra. Cristina Fonseca e a Formadora foi também a Sra. Enf. Anabela Queirós.
      • A Estratégia Nacional para a Qualidade na Saúde nas Unidades em Acreditação – formação de seguimento 

No âmbito do Plano de Formação de 2021 da ARS Norte, I.P., por proposta da AFQ e com colaboração da AFFD, através da Gestora de Formação, Dra. Cristina Fonseca, foi disponibilizada esta formação aos Coordenadores das Unidades (ou seus representantes) que vão iniciar o processo de Acreditação e que teve, como objetivos 

      1. rever alguns dos principais conceitos, princípios e metodologias inerentes à gestão do processo de certificação/acreditação de Unidades de Saúde, 
      2. rever conceitos, regras e vantagens no âmbito da implementação de Processos Assistenciais Integrados, 
      3. rever os standards do Manual de Acreditação de Unidades de Saúde – Gestão Clínica, clarificando os seus pressupostos e as evidências positivas a desenvolver, com treino em sala (online) e 
      4. identificar dificuldades e definir soluções relativas às várias fases do processo.

Estiveram presentes 25 Profissionais (1 Secretária Clínica, 7 Enfermeiros e 17 Médicos), representando 15 ACeS. 

Esta ação foi conduzida pela Sra. Enf. Anabela Queirós que exerce funções na USF Valongo (Unidade acreditada com nível ótimo pelo modelo ACSA) em 7, 8 e 9 de junho de 2021, através da plataforma Teams. 

 

Aqueles Profissionais estarão em condições de rever com a sua Equipa os conceitos, princípios e metodologias inerentes à gestão do processo de Acreditação segundo o modelo ACSA, bem como os standards do Manual de Acreditação de Unidades de Saúde – Gestão Clínica, identificando os seus pressupostos e as evidências positivas a desenvolver, incluindo os relacionados com a implementação de Processos Assistenciais Integrados. 

Estarão, ainda, em condições de antever muitas das dificuldades implicadas no processo e de iniciar o trabalho no sentido de as resolver e ultrapassar. 

      • Qualificação de Auditores Internos da Qualidade ISO 9001:2015

As auditorias internas constituem uma importante ferramenta de melhoria contínua da Qualidade, na medida em que permitem, através de um processo sistemático, independente e documentado, evidenciar e avaliar objetivamente o cumprimento dos requisitos do sistema de gestão. A identificação de discrepâncias entre o que está previsto e a sua aplicação real conduz à definição e implementação de ações que visam a otimização do funcionamento interno e a melhoria contínua do próprio sistema de gestão da Qualidade.
Foram programadas 5 sessões, nas datas de 4, 9, 10, 17 e 18 de março de 2021, que tiveram lugar através da plataforma Zoom.
Estiveram presentes 20 Formandos (12 Profissionais ligados às CQS de 7 ACeS, 4 Profissionais da DICAD e 4 Profissionais dos Serviços Centrais). O Curso foi desenvolvido pela SGS Academy, SGS Portugal e a Gestora de Formação foi a Dra. Maria do Céu Ferreira da AFFD.
No final da formação, os participantes ficaram aptos a conduzir auditorias internas da Qualidade ISO 9001 (Sistemas de Gestão da Qualidade), de acordo com as orientações da ISO 19011 (linhas de orientação para auditorias a sistemas de gestão).
O conteúdo teórico foi sendo acompanhado por casos práticos. Nos 4º e 5º dias foi realizada uma auditoria remota à Comunidade Terapêutica Ponte da Pedra e elaborado o respetivo relatório.
Fomentou-se, assim, a aquisição e utilização de uma linguagem técnica adequada, das atitudes e dos comportamentos corretos, da estruturação e organização comuns e das ferramentas normalizadas, de modo a obter resultados das auditorias o mais fidedignos possível, bem como comparações de resultados entre auditorias.

      • Gestão de Riscos Laborais 

O objetivo desta ação foi dar orientações para a elaboração e execução do Plano de Prevenção de Riscos Laborais (PPRL) ou Mapa/ Carta de Riscos, específico para cada Unidade, implementado de acordo com a legislação em vigor e segundo o modelo definido pelo Serviço de Segurança e Saúde no Trabalho da ARS Norte. Com esta formação é possível identificar os perigos e avaliar os riscos profissionais, no sentido de garantir a implementação de medidas de prevenção e proteção, com o intuito de minimizar esses riscos associados às atividades, às condições de trabalho e aos equipamentos ou produtos químicos utilizados.
Esta ação foi dirigida aos Gestores de Risco dos ACeS e aos responsáveis pela Gestão do Risco das UF em Acreditação.
Foi convidada como Formadora das 2 ações, de 12 horas cada uma, a Sra. Dra. Marta Guilherme, Técnica Superior de Segurança no Trabalho do Serviço de Segurança e Saúde do Trabalho da ARSN.
Estiveram presentes na 1ª ação 20 formandos e na 2ª ação 13 formandos, estando representados, no total, 11 ACeS. A distribuição por grupo profissional foi a seguinte: 16 Enfermeiros, 7 Médicos, 7 Técnicos e 3 Secretários Clínicos.
A 1ª ação decorreu em 27 e 28 de outubro e a 2ª ação decorreu em 9 e 13 de novembro e ambas tiveram lugar através da plataforma Teams. A Gestora desta Formação foi a Dra. Sílvia Neves da AFFD.
Foi proposta a uniformização de procedimentos. Espera-se que o conteúdo desta formação seja divulgado localmente, particularmente nas equipas das UF em processo de Acreditação.

      • RGPD – Proteção de Dados em Saúde
      • Foram realizadas 2 ações de formação, uma em 21 e 22 de fevereiro e a outra em 14 e 15 de março, através da plataforma Zoom e em que participaram 56 profissionais.

        A GPF foi a D. Elisabete Lopes da AFFD e o Formador foi o Dr. Sérgio Ferreira da SGS.

        Os objetivos definidos foram os seguintes:

        1. conhecer os princípios, os direitos do titular, as obrigações do responsável pelo tratamento de dados e outros requisitos jurídicos;
        2. saber traduzi-los para requisitos, processos e procedimentos da instituição;
        3. ser capaz de desenhar um plano de ação para a conformidade com o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) que inclua as boas práticas na área da Saúde.

          O conteúdo teórico foi sendo acompanhado por casos práticos como, por exemplo, fundamentos de licitude, registo das atividades de tratamento, contrato de trabalho, diagnóstico e implementação do RGPD na saúde, avaliação de risco, avaliação de impacto, em contexto de trabalho de grupo. Foi feita análise das metodologias e dos resultados obtidos, bem como das formas de implementação no local de trabalho dos formandos. Foram também considerados casos reais, trazidos e expostos pelos próprios participantes, como componente prática da formação. Para algumas das dificuldades mencionadas foram elencadas, com o contributo de todos, algumas soluções possíveis.

          Deseja-se que esta formação e os resultados dos trabalhos práticos sejam divulgados localmente em reuniões das DICAD, dos Conselhos Técnicos dos ACeS e das reuniões de Serviço das Unidades.

      • Auditorias a Normas Clínicas e Organizacionais e a PAI

Em 23 e 24 de fevereiro de 2022 realizou-se esta formação, através do MS Teams, em que participaram 17 Enfermeiros, representando 13 ACeS.

Os objetivos incluíram questões relacionadas com

      1. adquirir conhecimentos teóricos e práticos na realização de Auditoria Clínica, nos termos plasmados no Plano Estratégico de Melhoria Contínua da Qualidade da AFQ,
      2. ser capaz de realizar adequadamente auditorias clínicas em Unidades e Serviços de Saúde da ARS Norte, tendo por base a metodologia definida e adotada pela AFQ,
      3. obter ferramentas e estimular a prática reflexiva dos Profissionais.

A GPF foi a D. Elisabete Lopes da AFFD e a formação foi orientada pela Sra. Enf. Ângela Castro, da USF Porto Douro do ACeS Porto Ocidental e pela Sra. Enf. Ângela Dias, Enfermeira Gestora do ACeS Póvoa de Varzim/ Vila do Conde, bem como pelo Sr. Dr. Carlos Vaz, do Departamento da Qualidade na Saúde da Direção-Geral da Saúde e pela Dra. Luísa Almeida da AFQ.

A Sra. Dra. Elsa Ramos, Coordenadora da AFQ, procedeu à abertura e ao fecho do curso com apresentações sobre o enquadramento da formação nos objetivos de trabalho da AFQ e do seu Plano Estratégico de Melhoria Contínua da Qualidade na área das Auditorias.

Esta formação e os resultados dos trabalhos práticos serão divulgados localmente em reuniões das Unidades Funcionais a que os Profissionais pertencem, bem como em reuniões dos seus Conselhos Técnicos, do Conselho Clínico e das CQS dos ACeS.

Os Formandos poderão, a seu tempo, integrar a Rede Regional de Auditores.

O resultado global da execução, pelos Formandos, no seu local de trabalho, com elaboração de relatório, da avaliação de conformidades da aplicação da Norma n.º 005/2011, de 21/01/2011, “Diagnóstico Sistemático do Pé Diabético” e da Orientação n.º 003/2011, de 21/01/2011, “Organização de cuidados, Prevenção e Tratamento Pé Diabético”, será apresentado pelos Formadores e pela AFQ na forma de boletim informativo (nº3). Esta informação será enviada a todos os Formandos, às CQS dos 21 ACeS da RSN e aos seus Diretores Executivos e Presidentes dos Conselhos Clínicos e de Saúde, bem como ao Sr. Diretor do DQS da DGS; será também publicada no microssítio da AFQ, no sítio da ARS Norte.

      • Ferramentas da Qualidade em Saúde
      • Em função dos resultados da análise dos Relatórios de Atividade de 2019 e dos Planos de Ação de 2020 de todas as Comissões da Qualidade e Segurança (CQS) dos 21 ACeS da Região Norte, a AFQ verificou a necessidade de realizar formação nesta área.

        Em colaboração com a AFFD, muito particularmente com a Gestora desta formação, Dra. Cristina Fonseca, foi tida em conta a promoção da segurança do doente na vertente da análise e prevenção de incidentes, nomeadamente no que diz respeito à utilização de determinadas ferramentas.  

      • Fluxogramas– saber desenhar sempre que se defina um procedimento. 
      • Diagrama de Ishikawa– saber definir sempre que se encontre um “efeito”/incidente sobre o qual seja necessário refletir. 
      • Análise das causas raiz – saber definir sempre que se encontre um “efeito”/incidente sobre o qual seja necessário refletir. 

Procedimento – definir o documento que diga respeito à análise de incidentes, com inclusão do modo de registo de notificações, do plano de auditoria e da atualização e divulgação periódicas. 

As inscrições estiveram abertas para Profissionais selecionados pelas CQS e contámos com 29 formandos que se juntaram ao formador convidado, uma vez mais o Sr. Enf. Fernando Barroso, através da plataforma Teams, nos dias 4 (revisão teórica) e 17 (apresentação dos resultados das análises de causas raiz realizadas pelos Formandos nos respetivos ACeS) de novembro passado. 

Foram apresentados 9 casos com análise de causas raiz, diagramas de causa e efeito, fluxogramas e planos de ação pelos elementos dos grupos de trabalho. Foi feita análise da metodologia e dos resultados obtidos, bem como das medidas corretoras a implementar. Para algumas das dificuldades mencionadas foram elencadas soluções possíveis. 

Foi acordado que em todos os ACeS as equipas fariam localmente as adaptações necessárias na elaboração do procedimento de análise de incidentes e respetivas auditorias. 

O conteúdo desta formação e os resultados dos trabalhos práticos serão divulgados localmente em reuniões das Unidades Funcionais, dos Conselhos Técnicos e do Conselho Clínico/ CQS. 

A elaboração deste procedimento, bem como os resultados das auditorias farão parte do Relatório de Atividades de 2020 das CQS e deixarão pistas para a definição do Plano de Ação para 2021 dessas Comissões. 

Juntamente com a AFFD, estamos a organizar nova formação que ocorrerá provavelmente em maio de 2021 nos mesmos moldes. Em breve daremos notícias! 

      • Power BI

Elementos das CQS dos ACeS da Região de Saúde do Norte puderam usufruir desta formação promovida pela APDH e realizada em 19 de dezembro de 2019 e em 19 de fevereiro de 2020, nas instalações da AFFD. Esta ação foi conduzida pelo Sr. Dr. Hugo Monteiro, Médico de Saúde Pública a exercer funções no Departamento de Estudos e Planeamento da ARS Norte.

As ferramentas de Office 365 permitem comunicar e trabalhar de forma segura e com partilha da informação em simultâneo, de forma a apoiar a execução de atividades de forma colaborativa e participativa. É essencial conhecer como funcionam e como se podem integrar no dia-a-dia de trabalho, de modo a rentabilizar toda a informação obtida na monitorização da atividade dos Serviços.

 OPÇÕES
Eventos
Notícias
CoViD-19
Voltar
RSE - Area Cidadão