previous arrow
next arrow
Slider

Abertura de concurso para 1.234 médicos especialistas para o SNS

Foram publicados em Diário da República no passado dia 26 de julho, os despachos que autorizaram a abertura de procedimentos concursais para a contratação de médicos das áreas hospitalar, de medicina geral e familiar e de saúde pública.

As 1234 vagas a concurso nesta 1ª época representam o maior número dos últimos anos e permitirão a contratação de 839 médicos para a área Hospitalar, 17 para a de Saúde Pública e 378 para a de Medicina Geral e Familiar.

A distribuição de vagas teve como base um conjunto de critérios que consideraram as necessidades de cada instituição do SNS, nomeadamente os serviços e estabelecimentos de saúde com maiores carências, com particular enfoque nas regiões do interior e do Algarve.

Com a contratação destes profissionais, conjugada com a atribuição de incentivos à fixação em zonas carenciadas, será reforçada de forma substancial a resposta ao nível dos cuidados hospitalares e cuidados de saúde primários, em todo o país.

Tendo em vista o recrutamento urgente destes novos médicos especialistas foram publicados dia 30 de julho, os Avisos n.º 10302-A/2018 e 10302-B/2018, procedendo-se assim à abertura dos correspondentes procedimentos concursais.

Podem candidatar-se todos os médicos detentores do grau de especialista na correspondente área profissional de especialização, quer os que concluíram a respetiva formação na presente época, quer os que, tendo concluído o internato médico, não sejam detentores de uma relação jurídica de emprego por tempo indeterminado previamente constituída com qualquer serviço, entidade ou organismo do Estado, incluindo do respetivo setor empresarial.

As candidaturas deverão ser efetuadas através de plataforma online, a ser disponibilizada no portal da ACSS.

Esta distribuição tem em consideração as entidades/estabelecimentos do setor público, que fazem parte integrante do Serviço Nacional de Saúde, tendo sido privilegiadas as unidades hospitalares localizadas em zonas mais periféricas, identificadas como carenciadas nas áreas profissionais Hospitalar e de Saúde Pública e Medicina Geral e Familiar, nomeadamente o Centro Hospitalar de Lisboa Central (54 vagas), o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (47 vagas), o Hospital do Espírito Santo de Évora (41 vagas), o Centro Hospitalar e Universitário do Algarve, EPE (41 vagas), o Centro Hospitalar de Leiria, EPE (37 vagas) e o Centro Hospitalar Tondela-Viseu, EPE (34 vagas).

Voltar
Area Cidadão